Espaço para desvanecer a cada instante. Aqui se encontram textos, imagens e gráficos de vários autores. Sempre precisei colecionar o que eu chamo de figurinhas mágicas. São cartas que abrem novos horizontes e paisagens. Então, boa viagem ;)

domingo, 20 de julho de 2008

TRISTEZA

Não fique bravo com ele. Alguns silêncios indica sensatez...
Enfim, nós tinhamos uma irmã, Claire.
E eu lembro que uma ou duas vez por mês...
Ela passava o dia com lenço no nariz chorando
Nada conseguia acabar com a tristeza dela.
Nem as piadas engraçadas,
Nem as grandes confissões...
Toda tentativa de distraí-la era inútil.
Isso porque ela não tinha nenhum motivo para chorar.
Era ela que dizia isso.
Era uma tristeza muito antiga
Tão antiga, que ela deve ter sentido isso pela primeira vez numa vida anterior.
Na Idade Média, ou no tempo dos primeiros reis.
Desde essa época essa tristeza voltava com uma frequência regular
Era impossivel Claire escapar dela. Inútil.
Ela chamava isso de "dias melancólicos".
Ela recebia sorrindo, como se recebe primos.
Os olhos dela ficavam molhados
Eu poderia ter estrangulado a Claire num desses dias....
Por não poder ajudar-la
Eu me sentia muito humilhado.
Era como ela tentasse minha impotência contra a tristeza alheia
(ALICE: Quer dizer que chorava pra irritar você?)
Não era nada contra mim.
Ela só chorava
Como Buda ou qualquer divindade
E é impossível as pessoas admitirem que se pode chorar daquela maneira...
Com aquele sorriso
Um dia Claire, se matou.
Ela tinha 17 anos
Foi uma surpresa para todo mundo.
Eu juro...
Em vez de tristeza, era o espanto que reinava em nossa casa
Minha irmã era linda e feliz
Tudo com ela acontecia com perfeita comunhão.
Entende?
Ela dividia tudo.
Se não fossem...
Eu acho que foi essa tristeza antiga que a matou.
Eu acho que subestimamos muito as tristezas em geral
Sempre morremos de tristeza, na verdade.
(ALICE: você quer dizer que a tristeza vem conosco desde o nascimento?)
Sim.
(ALICE: Como a cor dos olhos?)
Sim. Exatamente.
E é por isso que precisamos tomar cuidado.
Os outros não podem fazer nada
Ninguém pode fazer nada contra ou favor da cor dos nossos olhos.
Por isso acho que seria justo deixar você cuidando sozinho da sua tristeza...
Vai esperar meu irmão a noite toda?
(ALICE: Sim...)

Filme "Em Paris" (Dans Paris. França/Portugal, 2006)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Archivo del blog