Espaço para desvanecer a cada instante. Aqui se encontram textos, imagens e gráficos de vários autores. Sempre precisei colecionar o que eu chamo de figurinhas mágicas. São cartas que abrem novos horizontes e paisagens. Então, boa viagem ;)

quinta-feira, 31 de março de 2011

Palavras não traduzem a nossa percepção.

Hoje fui à exposição “O Fantástico Corpo Humano”. É magnífico. Percebo que toda segmentação, tecnologia e ciência nos fazem entender melhor o nosso corpo. Contudo, a percepção do corpo não pode ser expressas em palavras. Teorias e palavras não podem traduzir a sensação real dele, mas elas são necessárias. Creio que buscamos o imperfeito perfeito para expressar o indizível do saber corporal. Na volta para casa, conscientizo que às vezes é ótimo ter o que não pode ser explicado.

Natureza das formas

Às vezes o ser marginal possui a benção divina da natureza esférica. Mas isso são apenas formas físicas distintas, assim como quadrangular, piramidal, vertical etc. Percebo que dentro da pluralidade, a verdade é Una, pois cada ser possui a razão específica da sua forma. Creio que é nessa diversidade que a vida se torna encantadora.

Chomsky e as 10 Estratégias de Manipulação Midiática

Chomsky e as 10 Estratégias de Manipulação Midiática
Classificado em Internacional - Imperialismo
O lingüista estadunidense Noam Chomsky elaborou a lista das “10 estratégias de manipulação” através da mídia:

  1. A ESTRATÉGIA DA DISTRAÇÃO.
    O elemento primordial do controle social é a estratégia da distração que consiste em desviar a atenção do público dos problemas importantes e das mudanças decididas pelas elites políticas e econômicas, mediante a técnica do dilúvio ou inundações de contínuas distrações e de informações insignificantes. A estratégia da distração é igualmente indispensável para impedir ao público de interessar-se pelos conhecimentos essenciais, na área da ciência, da economia, da psicologia, da neurobiologia e da cibernética. “Manter a atenção do público distraída, longe dos verdadeiros problemas sociais, cativada por temas sem importância real. Manter o público ocupado, ocupado, ocupado, sem nenhum tempo para pensar; de volta à granja como os outros animais (citação do texto 'Armas silenciosas para guerras tranqüilas')”.
  2. CRIAR PROBLEMAS, DEPOIS OFERECER SOLUÇÕES.
    Este método também é chamado “problema-reação-solução”. Cria-se um problema, uma “situação” prevista para causar certa reação no público, a fim de que este seja o mandante das medidas que se deseja fazer aceitar. Por exemplo: deixar que se desenvolva ou se intensifique a violência urbana, ou organizar atentados sangrentos, a fim de que o público seja o mandante de leis de segurança e políticas em prejuízo da liberdade. Ou também: criar uma crise econômica para fazer aceitar como um mal necessário o retrocesso dos direitos sociais e o desmantelamento dos serviços públicos.
  3. A ESTRATÉGIA DA GRADAÇÃO.
    Para fazer com que se aceite uma medida inaceitável, basta aplicá-la gradativamente, a conta-gotas, por anos consecutivos. É dessa maneira que condições socioeconômicas radicalmente novas (neoliberalismo) foram impostas durante as décadas de 1980 e 1990: Estado mínimo, privatizações, precariedade, flexibilidade, desemprego em massa, salários que já não asseguram ingressos decentes, tantas mudanças que haveriam provocado uma revolução se tivessem sido aplicadas de uma só vez.
  4. A ESTRATÉGIA DO DEFERIDO.
    Outra maneira de se fazer aceitar uma decisão impopular é a de apresentá-la como sendo “dolorosa e necessária”, obtendo a aceitação pública, no momento, para uma aplicação futura. É mais fácil aceitar um sacrifício futuro do que um sacrifício imediato. Primeiro, porque o esforço não é empregado imediatamente. Em seguida, porque o público, a massa, tem sempre a tendência a esperar ingenuamente que “tudo irá melhorar amanhã” e que o sacrifício exigido poderá ser evitado. Isto dá mais tempo ao público para acostumar-se com a idéia de mudança e de aceitá-la com resignação quando chegue o momento.
  5. DIRIGIR-SE AO PÚBLICO COMO CRIANÇAS DE BAIXA IDADE.
    A maioria da publicidade dirigida ao grande público utiliza discurso, argumentos, personagens e entonação particularmente infantis, muitas vezes próximos à debilidade, como se o espectador fosse um menino de baixa idade ou um deficiente mental. Quanto mais se intente buscar enganar ao espectador, mais se tende a adotar um tom infantilizante. Por quê? “Se você se dirige a uma pessoa como se ela tivesse a idade de 12 anos ou menos, então, em razão da sugestão, ela tenderá, com certa probabilidade, a uma resposta ou reação também desprovida de um sentido crítico como a de uma pessoa de 12 anos ou menos de idade (ver “Armas silenciosas para guerras tranqüilas”)”.
  6. UTILIZAR O ASPECTO EMOCIONAL MUITO MAIS DO QUE A REFLEXÃO.
    Fazer uso do aspecto emocional é uma técnica clássica para causar um curto circuito na análise racional, e por fim ao sentido critico dos indivíduos. Além do mais, a utilização do registro emocional permite abrir a porta de acesso ao inconsciente para implantar ou enxertar idéias, desejos, medos e temores, compulsões, ou induzir comportamentos…
  7. MANTER O PÚBLICO NA IGNORÂNCIA E NA MEDIOCRIDADE.
    Fazer com que o público seja incapaz de compreender as tecnologias e os métodos utilizados para seu controle e sua escravidão. “A qualidade da educação dada às classes sociais inferiores deve ser a mais pobre e medíocre possível, de forma que a distância da ignorância que paira entre as classes inferiores às classes sociais superiores seja e permaneça impossível para o alcance das classes inferiores (ver ‘Armas silenciosas para guerras tranqüilas’)”.
  8. ESTIMULAR O PÚBLICO A SER COMPLACENTE NA MEDIOCRIDADE.
    Promover ao público a achar que é moda o fato de ser estúpido, vulgar e inculto…
  9. REFORÇAR A REVOLTA PELA AUTOCULPABILIDADE.
    Fazer o indivíduo acreditar que é somente ele o culpado pela sua própria desgraça, por causa da insuficiência de sua inteligência, de suas capacidades, ou de seus esforços. Assim, ao invés de rebelar-se contra o sistema econômico, o individuo se auto-desvalida e culpa-se, o que gera um estado depressivo do qual um dos seus efeitos é a inibição da sua ação. E, sem ação, não há revolução!
  10. CONHECER MELHOR OS INDIVÍDUOS DO QUE ELES MESMOS SE CONHECEM.
    No transcorrer dos últimos 50 anos, os avanços acelerados da ciência têm gerado crescente brecha entre os conhecimentos do público e aquelas possuídas e utilizadas pelas elites dominantes. Graças à biologia, à neurobiologia e à psicologia aplicada, o “sistema” tem desfrutado de um conhecimento avançado do ser humano, tanto de forma física como psicologicamente. O sistema tem conseguido conhecer melhor o indivíduo comum do que ele mesmo conhece a si mesmo. Isto significa que, na maioria dos casos, o sistema exerce um controle maior e um grande poder sobre os indivíduos do que os indivíduos a si mesmos.

Texto retirado neste link aqui. Yiuki Doi

segunda-feira, 28 de março de 2011

Nem calado posso me esconder

Às vezes noto que pessoa que possui boa dicção tem facilidade com forma e organização (3°logos). Muitos que não possui boa dicção lida bem com as energias (2°logos). Quem é meiga ou que tem voz fina, possui algo de misterioso atrás. Aquele que é calado ou tímido são observadores e percebem as leis (1°logos).

Entusiasmo

A palavra "entusiasmo" vem do grego e significa "sopro divino". Os gregos eram politeístas, isto é, acreditavam em vários deuses. A pessoa entusiasmada era aquela que era possuída por um dos deuses. Por causa disso, poderia transformar a natureza e fazer as coisas acontecerem. Assim, se você fosse "entusiasmado" por Ceres (deusa da agricultura), você seria capaz de produzir a melhor colheita. Segundo os gregos, só as pessoas entusiasmadas eram capazes de vencer os desafios do cotidiano Era preciso, portanto, entusiasmar-se.
Assim, o entusiasmo é diferente do otimismo. Otimismo significa acreditar que uma coisa vai dar certo. Talvez até torcer para que ela dê certo. Muita gente confunde otimismo com entusiasmo. No mundo de hoje, na empresa de hoje, é preciso ser entusiasmado. A pessoa entusiasmada é aquela que acredita na sua capacidade de transformar as coisas, de fazer dar certo. Entusiasmada é a pessoa que acredita em si. Acredite nos outros. Acredita na força que as pessoas têm de transformar o mundo e a própria realidade.
Só há uma maneira de ser entusiasmado: é agir entusiasticamente! Se esperarmos as condições ideais primeiro para depois nos entusiasmarmos, jamais nos entusiasmaremos. Não é o sucesso que traz o entusiasmo, é o entusiasmo que traz o sucesso. Há pessoas que ficam esperando as condições melhorarem, a vida melhorar, o sucesso chegar, para depois se entusiasmarem. A verdade é que jamais se entusiasmarão com coisa alguma. O entusiasmo é que traz a nova visão da vida.
Como vai seu entusiasmo pelo seu país, por sua empresa, por seu emprego, por sua família, por seus filhos, pelo sucesso de seus amigos? Se você é daqueles que acham impossível entusiasmar-se com as condições atuais, acredite: você jamais sairá dessa situação. É preciso acreditar em você, na sua capacidade de vencer, de construir o sucesso, de transformar a realidade. Deixe de lado todo o negativismo e o ceticismo. Seja entusiasmado com sua vida e principalmente com você mesmo.

Autor desconhecido.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Mudar a sí mesmo

Se vemos o mundo não como um todo, como planeta, mas sim como o que esta a nossa volta (que é o nosso mundo mesmo, a nossa realidade) ao mudarmos como individuo influenciamos, inspiramos os outros. E não é nossa missão mudar o outro, pois não cabe a nos, mas a cada um querer mudar. Mas quando temos a clareza do que queremos mudar em nos e seguimos com o coração aberto, humilde e confiante, tudo fica mais leve e mais bonito e o amor transborda... Mila Loenert

Natureza dos números

 

Dica proporção aurea

Ser artista e filósofo

Creio que ser filósofo e/ou artista é um estado permanente: 24h, 7 dias da semana, 365 dias, etc. Esse cara abaixo é um exemplo para mim. Yiuki

Desejo e plenitude são coisas distintas

Desejo e plenitude são coisas distintas, a plenitude não possui dependência. Ele tem relação com o estado de espírito. Pois pelo espírito já somos, mas pela matéria, temos desejos. A serenidade se encontra no entendimento da relação entre os dois.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Manual do cavalheirismo

  1. Aprender a abrir a porta para a dama.
  2. Quando for levar a um restaurante, deixar ela sentar numa poltrona que tenha uma vista bonita, de repente um luar, jardim, raios solares, etc.
  3. Às vezes não dê opção para a dama, elegantemente pegue a comanda dela e pague a conta.
  4. Levar a dama até o carro, se ela deixou na rua, não deixar o flanelinha chegar perto dela, retire um trocado e prontamente entregue para o cidadão.
  5. Andando na rua, se perceber uma sujeito estranho chegando, fique sempre entre ele e a dama. Isso deve ser feito na maior sutileza, ninguém precisa perceber isso.
  6. Ser cordial e cavalheiro é reconhecer a natureza feminina individual, não existe regras específicas ;)

P.S. Tudo é bom senso, caso contrário sufoca qualquer dama e a si mesmo. Mas este manual contêm boas dicas que recebi de uma dama elegante e aprendi a colocar em prática no meu quotidiano.

Planta com baguá

Se começarmos analisar esse gráfico que deve ser colocado no centro da casa para organizar e harmonizar o nosso lar possui uma lógica interessante. Brincadeira de análise iconoantropográfico ;) Yiuki

domingo, 20 de março de 2011

Saudade – Rubem Alves

"Saudade é a dor que se sente quando se percebe a distância que existe entre o sonho e a realidade." (Rubem Alves)

quarta-feira, 16 de março de 2011

Pressuposto antes de uma sentença

No oriente muitas vezes quando alguém fala, já existe um pressuposto de que tudo é um recorte de tempo e espaço. No mundo ocidental atual, de maneira geral, parte do pressuposto que precisa ser uma verdade irrefutável. Assim, muitos começam a contra-argumentar fatores que anulam a afirmação, não se posicionam como ouvintes que se encantam ao ver a diversidade do universo.

P.S.: Tese, antítese e síntese às vezes atrapalha. Prefiro em muitas ocasiões: recorte, empatia e imaginação.

Mau necessário

Cada ser comporta em si o bem e o mau necessário da sua razão de existência.

Elefante Branco Gigante

Se algo te incomoda, esse algo não tem obrigação de mudar, você que precisa aprender com isto. (ensinamento da minha amiga Keiko)

domingo, 13 de março de 2011

Estrela cadente

Há uma razão, no curto brilho de uma estrela cadente.

Ser

Dizem que Deus é perfeito porque não toma partido. Não quero ser Ele, mas em pensamento busco não ter partido. As escolhas, sim, estas são minhas, e fico feliz pela minha natureza humana. Mas nesse ponto, retomo a busca utópica Naquele que não julga. Compreendo então, que as coisas São e a gente simplesmente É:
A vida é maravilhosa nessa maneira de Ser.

sábado, 12 de março de 2011

Presente (Mahatma Ghandi)

“Se pudesse deixar algum presente a você,
deixaria aceso o sentimento de amor à vida dos seres humanos.
A consciência de aprender tudo o que nos foi ensinado pelo tempo afora.
Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem.
A capacidade de escolher novos rumos.
Deixaria para você, se pudesse, o respeito àquilo que é indispensável:
além do pão, o trabalho. Além do trabalho, a ação.
E quando tudo mais faltasse, um segredo:
o de buscar no interior de si mesmo a resposta e
a força para encontrar a saída.”

Mahatma Ghandi

terça-feira, 8 de março de 2011

domingo, 6 de março de 2011

sábado, 5 de março de 2011

Seguidores

Archivo del blog