Espaço para desvanecer a cada instante. Aqui se encontram textos, imagens e gráficos de vários autores. Sempre precisei colecionar o que eu chamo de figurinhas mágicas. São cartas que abrem novos horizontes e paisagens. Então, boa viagem ;)

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Origem do mundo

Há tempo atrás, antes de algum ser vivo existir, muito antes do o sol nascer, todo esse universo era BRANCO e ninguém sabia dele e do SILÊNCIO reinava. Hoje esse espaço branco possui um nome, ele se chama DEUS. Esse SER que sempre existiu independente do tempo e da matéria.

Um dia Deus teve uma idéia e resolveu fazer a primeira criação e inventou a LINHA. Isso mesmo, a primeira criação dele foi simplesmente uma linha.

clip_image002

Um desenhista acharia estranho, pois precisaríamos de dois pontos para ter uma linha. Contudo o ponto e o NADA é a mesma coisa, pois o ponto é aquilo que não tem parte ou grandeza alguma. Ou seja, o ponto por si não consegue si definir. Então Deus criou a linha, pois ela define a ORDEM e as extremidades que são chamadas de PÓLOS. Assim, Deus percebeu uma coisa: Aquilo que é definido precisa o indefinido para firmar a sua existência; junto à linha ele tinha criado o INFINITO.

Ele ficou contemplando a linha, então descobriu que ele poderia UNIR as extremidades. Com muito cuidado e AMOR ele pegou as pontas e com movimento singelo ligou elas. Nesse instante mágico o TEMPO tinha nascido, pois o tempo é o poder de atuação da UNIÃO e do AMOR. Então Deus disse ao TEMPO: - Você ficará responsável para que todas as energias fluam, transmutem e se conectem nesse universo.

clip_image002[5]

Da união nasceu a FORMA e assim surgiu o circulo. Ele ficou encantado com o círculo, empolgou-se de fez um monte de círculos.

clip_image002[7]

O universo ficou repleto de bolinhas, uns grandes, outros circunscritos, outros compartilhando os mesmos espaços. Ele olhava para todos eles e percebeu que ainda faltava alguma coisa. Então ele decidiu dar um toque com o dedo no centro de cada um deles. Assim a ALMA era dada para cada um dos círculos e eles começaram a se colorir.

clip_image002[9]

Junto com as cores eles começaram a mudar de formatos - começaram a se individualizar. Novas texturas, cheiros e sabores surgiram.

Uns círculos viraram flores, outro o céu, outros viraram animais. Todos impulsionados pela sua alma que lhe fora dada.

Assim, cada um dos ex-círculos descobriu que tinha um LUGAR para estar nesse mundo. Mas que não bastaria estar sozinho e isolado. Eles começaram a se movimentar, RELACIONAR e interagir de acordo com a sua natureza. Assim cada ex-círculo precisava se MOVIMENTAR de acordo com voz da sua alma para se sentir PLENO.

O pássaro descobriu que tinha asa e que precisava voar.
As águas do rio precisavam se evaporar.
O céu agora estava a receber as batidas das asas e abrigar os vapores d água.
Os raios do sol iluminariam o céu para que as gotículas da água criassem o arco-íris.
Dos vapores a chuvas vieram para alimentar o solo.
A vida pulsava no universo.

Assim, o paraíso tinha sido criado e os últimos círculos que vieram transformaram em ADÃO e EVA. Foi assim surgiu o mundo que vivemos.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Trabalho – Nuno Cobra

Sem dúvida nenhuma, meu primeiro contato com o mundo real da prática de minha profissão foi o desencadeador de meu mais profundo e significativo ideal de vida. Percebi que só no amor, na entrega pura e verdadeira, um ser humano poderia realizar algo em benefício de seu semelhante. Que o trabalho enquanto trabalho, por mais técnico e perfeito que fosse, nada resolveria sem a doação contínua e permanente.
Nuno Cobra (A Semente da Vitória)

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Olhar o invísivel é um merecimento

Captar as forças invisíveis que movem o universo é um mérito. Não temos como repassar esses méritos, o que podemos é criar situações favoráveis para que as pessoas possam por sí mesma captá-los. Após isso, precisamos ter desapego da nossa ação. As sementes germinam somente na estação certa.

domingo, 5 de dezembro de 2010

Louvada seja a Dança - Santo Agostinho

“Louvada seja a dança
Que libera o homem
Do peso das coisas materiais
E une os solitários
Para formar sociedade.
Louvada seja a dança,
Que exige tudo e fortalece
A saúde, uma mente serena
E uma alma...
A dança significa transfomar
O espaço, o tempo e o homem,
Que sempre corre perigo,
De se perder ou ser somente cérebro,
Ou só vontade ou só sentimento.
A dança porém exige
O ser humano inteiro,
Ancorado no seu centro
E não conhece a vontade
De dominar gente e coisas.
E que não serve a obsessão
De estar perdido no seu próprio ego.
A dança exige o homem livre e aberto,
Vibrando na harmonia de todas as forças.
Ó homem, ó mulher, aprenda a dançar se não os anjos no céu
Não saberão o que fazer contigo!"

Santo Agostinho

Observação: Não tenho certeza que é do Santo Agostinho, estou desconfiado que não é dele, pois fiz um procurar na internet e só encontrei blogs com esse texto dando autoria para ele. Yiuki Doi

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Eleger é diferente de escolher

Eleger é diferente de escolher. Escolher anula as demais opções, eleger engloba todas outras opções. Alberto Camus disse: “Somos responsáveis por aquilo que fazemos, pelo que não fazemos e pelo que impedimos de fazer.” O eleger se relaciona com a consciência da nossa escolha. Por isso, quando elegemos o caminho, este conterá as virtudes das demais trilhas não vivenciadas por nós.   Yiuki Doi

P.S. Dançando sinto o respirar do filho que adiei em ter, a presença da família que mora longe, o aconchego da minha casa própria, e tantas outras coisas que abdiquei para estar no palco.

Deus é perfeito

Deus não toma partido, por isso que é perfeito. O mesmo aplica quando ele surgiu do nada?! Não existe mágica mais perfeita do que essa! Adoro essa façanha Dele!

domingo, 28 de novembro de 2010

SOBRE SER BRILHANTE - Nelson Mandela

Nosso medo mais profundo não é o de sermos inadequados.
Nosso medo mais profundo é que somos poderosos além de qualquer medida.
É a nossa luz, não as nossas trevas,  o que mais nos apavora.
Nós nos perguntamos:
Quem sou eu para ser Brilhante, Maravilhoso, Talentoso e Fabuloso?
Na realidade, quem é você para não ser?
Você é filho do Universo.
Se fizer pequeno não ajuda o mundo.
Não há iluminação em se encolher, para que os outros não se sintam inseguros  quando estão perto de você.
Nascemos para manifestar a glória do Universo que está dentro de nós.
Não está apenas em um de nós: está em todos nós.
E conforme deixamos nossa própria luz brilhar, inconscientemente damos às outras pessoas permissão para fazer o mesmo.
E conforme nos libertamos do nosso medo,  nossa presença, automaticamente, libera os outros.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Pega-pega

Guia-me o que temos em comum, mas me encanta a sua diferença. Pois por meio dela reconheço o meu contorno, o qual antes eu não percebia. Mas agora, então, eu posso rompê-lo, ultrapassar o meu limite. Sentir o prazer de reconhecer-lhe melhor. Mas quando lhe vejo novamente, você já não é a mesma, tinha expandido o seu encanto pelo mundo. Então dou uma risada, olho nos seus olhos e busco novamente o meu contorno. Recomeça a brincadeira.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Receita para arrancar poemas presos – Viviane Mosé

Poema citado no Café Filosófico, onde o vídeo se contra disponível no link aqui. Bom, não digitei o texto abaixo, isso uma outra pessoa fez e encontrei nesse site que parece interessante. Yiuki

A maioria das doenças que as pessoas têm
São poemas presos.
Abscessos, tumores, nódulos, pedras são palavras
calcificadas,
Poemas sem vazão.

Mesmo cravos pretos, espinhas, cabelo encravado.
Prisão de ventre poderia um dia ter sido poema.
Mas não.

Pessoas às vezes adoecem da razão
De gostar de palavra presa.
Palavra boa é palavra líquida
Escorrendo em estado de lágrima

Lágrima é dor derretida.
Dor endurecida é tumor.
Lágrima é alegria derretida.
Alegria endurecida é tumor.
Lágrima é raiva derretida.
Raiva endurecida é tumor.
Lágrima é pessoa derretida.
Pessoa endurecida é tumor.
Tempo endurecido é tumor.
Tempo derretido é poema

Você pode arrancar poemas com pinças,
Buchas vegetais, óleos medicinais.
Com as pontas dos dedos, com as unhas.

Você pode arrancar poemas com banhos
De imersão, com o pente, com uma agulha.
Com pomada basilicão.
Alicate de cutículas.
Com massagens e hidratação.

Mas não use bisturi quase nunca.
Em caso de poemas difíceis use a dança.
A dança é uma forma de amolecer os poemas,
Endurecidos do corpo.
Uma forma de soltá-los,
Das dobras dos dedos dos pés, das vértebras.
Dos punhos, das axilas, do quadril.

São os poema cóccix, os poemas virilha.
Os poema olho, os poema peito.
Os poema sexo, os poema cílio.

Atualmente ando gostando de pensamento chão.
Pensamento chão é poema que nasce do pé.
É poema de pé no chão.

Poema de pé no chão é poema de gente normal,
Gente simples,
Gente de espírito santo.

Eu venho do espírito santo
Eu sou do espírito santo
Trago a Vitória do espírito santo

Santo é um espírito capaz de operar milagres
Sobre si mesmo.

Viviane Mosé

Alterar o espaço para se mudar

Se você quer mudar algo na sua vida, comece mudando as localizações dos móveis da sua casa. Autor desconhecido.

Retirei desse video: Clique aqui.

Espaço é tudo!

Espaço é tudo. Precisamos de espaço na mente, corpo e emoção. O mais inclivel disso tudo é que temos capacidade ilimitada de abrir espaço dentro de nós independente do que já temos.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Dom

Quando não se faz o uso do dom recebido, o próprio universo às vezes se encaminha para retirá-lo.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Cuidado com o Feedback

A vezes mesmo quando as coisas não estão como queriamos, não quer dizer que todos não esforçaram o máximo dentro do seu possivel.  Yiuki

P.S. Cuidado que tenho para controlar a tirania nipônica existente dentro de mim.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Jerome Murat, Estátua de duas cabeça: Leitura de simbologias clássicas

Recebi esse vídeo abaixo via e-mail e adorei. Bom, sei que as obras de artes não se limita ao olhar do criador e libertam-se na imaginação dos que apreciam. Talvez eu esteja viajando na maionese. Mesmo assim, deixo abaixo do vídeo as simbologias clássicas que vislumbrei nessa performance maravilhosa.

Simbologias: Andróginos (almas gêmias, carência de Deus), Capela Sistina (as mãos atrás, no cenário), Cosmologia (cenário), Cajado (símbolo daquele que mostra o caminho) e Shakespeare. A performance pincela sobre a viagem mais longa do ser humano que é a distância da cabeça até o coração. Também parece ter uma dica de que as respostas não estão nas informações (livros) e sim na sabedoria do coração (ou não entendi que referencia é o livro na performance, falta de informação da minha parte…)

P.S. Acho que o que vale é viajar na obra e isto não é questão de ser racional. É contemplar e relacionar os pontos. Encantar com o céu estrelado no fundo, mas também conectar ela no contexto. Ver as duas torres no fundo e buscar sentidos nelas, se não encontrou como eu, tudo bem também. Não existe o certo e o errado nessa história, existe somente a busca prazerosa do sentir e relacionar com a obra.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Dançar

Dançar é como uma folha que cai num bailar com o vento. A folha somente segue a sua natureza em busca do chão. Dançar é isso, ouvir a voz interna e seguir adiante.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Verdade

“A verdade sempre sabemos onde encontrar, basta fechar os olhos e sentí-la.” Edson Walker

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Amor paternal

Descubro que às vezes amor e admiração não basta para nos entendermos. Podemos nos amar tanto, mas existe um mundo que nos separa. Devoção em nos criar, sorriso tímido e poucas palavras pela vida dura. Opções, às vezes me questiono o que foi isso para mim e para ti… Enfim, descubro que não tenho opção de não te amar e não te admirar.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Cuidado profissional: formação, produção, difusão e memória.

  1. Formação*: Transmissão da magia já existente na sociedade.
    • Aluno
    • Professor
  2. Produção: A partir da formação criamos novos conhecimentos, produtos, artes, espetáculos, etc.
  3. Divulgação: Não basta produzir ou formar, precisamos divulgar e expandir.
  4. Memória: Arquivar fisicamente os conhecimentos para que futuramente alguém possa se beneficiar.

* Formação muitas vezes precisa de manutenção.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Olhar é um ato de escolha - John Berger

“Só vemos aquilo que olhamos. Olhar é um ato de escolha. Como resultado dessa escolha, aquilo que vemos é trazido para o âmbito do nosso alcance – ainda que não necessariamente ao alcance da mão. Tocar alguma coisa é situar-se em relação a ela. […]. Nunca olhamos para uma coisa apenas; estamos sempre olhando para a relação entre as coisas e nós mesmos. Nossa visão está continuamente ativa, continuamente em movimento, continuamente captando coisas num círculo à sua própria volta, constituindo aquilo presente para nós do modo como estamos situados.”

John Berger – Modos de Ver - Tradução: Lúcia Olinto (J. Berger, Ways of Seeing. London: BBC 1972, p. 7)

P.S. Aquilo que não conseguimos ligar os pontos (relacionar) não enxergamos. Yiuki

Natureza da reciprocidade da visão - John Berger

Logo depois de podermos ver, nos damos conta de que podemos também ser vistos. O olho do outro combina com o nosso próprio olho, de modo a tornar inteiramente confiável que somos parte do mundo visível.
Se aceitarmos qeu podemos ver aquele morro ao longe, estamos propondo que daquele morro podemos ser vistos. A natureza da reciprocidade da visão é mais fundamental do que a do diálogo falado. E com frequência o diálogo é uma tentativa de verbalizar isso… uma tentativa de explicar como, quer metaforica ou literalmente, “você vê as coisas”, e uma tentativa de descobrir como “ele vê as coisas”.

John Berger – Modos de Ver - Tradução: Lúcia Olinto (J. Berger, Ways of Seeing. London: BBC 1972, p. 7)

Ver precede as palavras - John Berger

“Ver precede as palavras. A criança olha e reconhece, antes mesmo de poder falar.

Mas existe ainda outro sentido no qual ver precede as palavras: o ato de ver que estabelece nosso lugar no mundo circundante. Explicamos esse mundo com as palavras, mas as palavras nunca poderão desfazer o fato de estarmos por ele circundados. A relação entre o que vemos e o que sabemos nunca fica estabelecida. A cada tarde, vemos,  o Sol se pôr. Sabemos que a Terra está se movimentando no sentido de afastar dele. No entanto, o conhecimento, a explicação quase nunca combinam com a cena.”

John Berger – Modos de Ver - Tradução: Lúcia Olinto (J. Berger, Ways of Seeing. London: BBC 1972, p. 7)

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Alquimia

Carma e Darma são faces opostas de uma mesma moeda, espero um dia compreender a luz que liga os dois, pois parece-me que neste ponto existe o segredo da alquimia.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Enxergar o ser humano antes de tudo

Antes ser um bailarino profissional, sou amante da cultura.
Antes disso, um filósofo, um civil, um homem; e acima de tudo um ser humano. Aprendi que precisamos ver o ser humano que está atrás de todas as qualificações de uma pessoa (status, conhecimento, dinheiro e beleza).

P.S.¹ Como diz meu professor de filosofia da Nova Acrópole: Enxergar no mendigo o humano existente nele.

P.S.² Precisamos ser uma boa pessoa para sermos um ótimo profissional.

Você chegou com a lua, mamãe!

A primeira coisa que meu filho me disse hoje de manhã quando me viu: "Você chegou com a lua, mamãe!" e me abraçou.
Depois meu marido comentou que ele queria saber quando a mamãe chegaria, então ele precisou explicar que:

- Tinha que esperar um sol + uma lua + um sol e + uma lua e que então a mamãe chegaria.

Achei linda a história que minha amiga me contou. Realmente, precisamos entrar no universo das crianças para que elas possam aprender com a imaginação e amor.  

Arte na luta do bem

Precisamos ser a flecha do Apolo na luta do bem. Essa flecha que é a Arte. Usá-la para contruir um mundo melhor. É preciso para isso muito amor, devoção, serviço e investigação. Muita responsabilidade e respeito à Arte. Esse foi o ensinamento mais marcante que tive com o Walter no 7° Encontro Nacional do Tristán.

domingo, 15 de agosto de 2010

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

domingo, 8 de agosto de 2010

Responsabilidade - Albert Camus

"Somos responsáveis por aquilo que fazemos, pelo que não fazemos e pelo que impedimos de fazer."

Albert Camus - Escritor e filósofo francês, 1913-1960

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

ORAÇÃO DO RELIGAR

1. Feche os olhos, respire profundamente e sinta seus pés respirando.

2. Comece a visualizar as pessoas que você ama.

3. Comece a lembrar dos sorrisos de quem te estima.

4. Comece a visualizar as boas ações feitas por ti.

5. Imagine que você é o vento, o sol, as estrelas, a areia, o mar, etc. e sinta o que é ser eles.

6. Lembre de todas as pessoas, animais, vegetais, que já foram embora. Devemos viver intensamente com eles, independente que o relacionamento fora de erros ou de acertos.

7. Lembre-se que sempre fizemos o melhor dentro da nossa possibilidade da consciência daquele instante.

8. Conecte ao som em sua volta, carros, passarinhos, etc.

9. COMPREENDERÁS QUE VOCÊ NUNCA É SOZINHA. Estamos todos juntos, somos UNO - Deus. Somos nada e temos tudo em nosso coração.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

O outro…

"O outro é você mesmo em um mundo diferente. Olhe-o com apreciação profunda"  (Lama Padma Samten)

AMIGOS - Vinícius de Moraes

“Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos.
Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles.
A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor.
Eis que permite que o objeto dela se divida em outros afetos, enquanto o amor tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade.
E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!
Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências.
A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem. Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida. É delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure.
E às vezes, quando os procuro, noto que eles não têm noção de como me são necessários, de como são indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente, construí.
E me envergonho, porque essa minha prece é em síntese, dirigida ao meu bem estar.
Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo.
Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles.
Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer.
Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos, e, principalmente os que não desconfiam ou talvez nunca vão saber que são meus amigos!
A gente não faz amigos, reconhece-os.”

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Em mil ventos me transformei / 千の風になって (Sen no kaze ni natte) / I am a thousand winds

Cantor: Akikawa Masafumi  (Japan) 
Poesia original: Autor desconhecido (English, EUA, sec XIX)
Compositor: Arai Man (Japan)
Tradução para japonês: Arai Man (Japan)
Tradução para português: Nonaka (Itabirito, MG - Brazil)


Por favor, não chore na frente de minha sepultura.

私のお墓の前で 泣かないでください
(Watashi no ohaka no mae de Nakanai de kudasai)
Do not weep at my grave.

Eu não estou ai, não estou adormecido.

そこに私はいません 眠ってなんかいません
(Soko ni watashi wa imasen Nemutte nanka imasen)
I am not there. I am not sleeping.

Em mil ventos, em mil ventos me transformei.

千の風に 千の風になって
(Sen no kaze ni Sen no kaze ni natte)
A thousand winds. I will become a thousand winds.

Sobrevoando aquele céu imenso.

あの大きな空を 吹きわたっています
(Ano ooki na sora wo fukiwatatte imasu)
I blow in the great sky.

No outono me tornarei a claridade que desce no campo.

秋には光になって 畑にふりそそぐ
(Aki ni wa hikari ni natte Hatake ni furisosogu)
In the autumn, I am the light that falls upon the crop fields.

No inverno me tornarei como diamante,  neve cintilante eu serei.

冬はダイヤのように きらめく雪になる
(Fuyu wa daiya no you ni Kirameku yuki ni naru)
In the winter, I am the falling snow that shines as a diamond

Pela manha serei pássaro que te faz despertar.

朝は鳥になって あなたを目覚めさせる
(Asa wa tori ni natte Anata wo mezamesaseru)
In the morning, I am the bird to whose song you awake.

A noite serei estrela que te protege.

夜は星になって あなたを見守る
(Yoru wa hoshi ni natte Anata wo mimamoru)
At night, I am the stars that watch over you.

Por favor não chore na frente de minha sepultura.

私のお墓の前で 泣かないでください
(Watashi no ohaka no mae de Nakanai de kudasai)
Do not cry at my grave.

Eu nao estou ai, não estou morto.

そこに私はいません 死んでなんかいません
(Soko ni watashi wa imasen Shinde nanka imasen)
I am not there. I did not die.

Em mil ventos, em mil ventos me transformei.

千の風に 千の風になって
(Sen no kaze ni Sen no kaze ni natte.)
As a thousand winds. As a thousand winds.

Sobrevoando aquele céu imenso.

あの大きな空を 吹きわたっています
(Ano ooki na sora wo fukiwatatte imasu)
That blow in the great sky.

Em mil ventos, em mil ventos me transformei.

千の風に 千の風になって
(Sen no kaze ni Sen no kaze ni natte)
As a thousand winds. As a thousand winds.

Sobrevoando aquele céu imenso.

あの大きな空を 吹きわたっています
(Ano ooki na sora wo fukiwatatte imasu)
That blow in the great sky.

Sobravoando aquele céu imenso.

あの大きな空を 吹きわたっています
(Ano ooki na sora wo Fukiwatatte imasu)
I blow in the great sky.

Versão da música em inglês:

 

P.S. Dizem que as orações dos nativos indígenos podem ter influênciado o poema original. Realmente é muito intrigante a referência “taoista” deste poema que nasceu na sociedade americana cristã do século XIX. Yiuki

Deus = Justo + Bom + Belo

O Justo, o Belo e o Bom se encontram em tudo, pois eles juntos é Deus. Por isso precisamos buscá-los sempre, em nós e nos outros (vento, árvore, cachorro, amigo, família, namorada, desconhecido, etc). Sentir eles significa brilhar a Natureza Divina que todos possuímos. Do pó viemos e ao pó voltaremos, encontraremos nele a nossa própria semelhança.

justo bom belo

P.S. “Gente nasceu para brilhar”.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Compaixão para todos seres vivos

“Enquanto o âmbito da sua compaixão não abranja todos os seres vivos, o homem não encontrará paz só por sí”. Albert Schweitzer (Prêmio Nobel da Paz)

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Abraço é o momento que temos dois corações.

Aprendi essa frase hoje no encontro do SummuS, o Jr. me repassou dizendo que um conhecido ensinou a ele… Bom, logo não sei o autor, mas deixo postado aqui ;)

terça-feira, 29 de junho de 2010

A Lua me segue

Quando criança achava que a Lua me seguia. Às vezes corria para escapar dela. Outra hora, eu mudava de direção fazendo um Oleeee e achava engraçado, pois ela não desistia de mim. Com o tempo tinha esquecido disso... No sábado passado, andando sob a lua cheia, recordei que ela me segue até hoje. Yiuki

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Vocação

Aprendi ontem com a Mika Utsunomiya que a vocação é aquilo que está presente independente do nosso estado e por isso o desempenho e a qualidade não oscila no nosso quotidiano, muito pelo contrário, a vocação alimenta por si o nosso ciclo de energia permitindo aprender coisas além da própria vocação.

Yiuki

sexta-feira, 18 de junho de 2010

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Viva cada instante!

Adorei o joke enviado pelo meu amigo Clodoaldo, deixo postado aqui ;)

“Viva cada minuto como se fosse o último, uma hora você acerta!”

1° Princípio físico do Nei-kun

“Descondicionando o corpo, mantendo independente e natural a respiração, passificada as emoções, vazia a mente. Complenderás que arte do poder interno é a arte de viver.”

domingo, 6 de junho de 2010

Verdadeiro amigo

Quem possui um verdadeiro amigo, enxerga nele um reflexo de sua própria alma. Como conseqüência desta semelhança moral entre ambos, os amigos são tão intimamente unos que não pode haver uma vantagem que não seja partilhada igualmente por ambos. São fortes na força, ricos na opulência e poderosos no mútuo poder. De fato, raras vezes podem ser considerá-los indivíduos separados, e onde quer que um apareça, o outro estará virtualmente presente. Ousarei uma afirmação ainda mais audaz e direi que, a despeito da morte, ambos continuarão existindo enquanto um deles permanecer com vida, pois podemos dizer que o falecido, de certa forma, vive sempre que sua memória se apresentar com reverência e com o mais terno lamento no peito daquele que sobrevivi, circunstância que faz feliz na morte ao primeiro e faz honrado na vida ao segundo.

Délia Steinberg Guzmán – Coleção Péloras de Sabedoria: A arte de cultivar a amizade, pág11

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Canto das palmeiras

Hoje descobri que as folhas da palmeira junto ao vento possui um canto especial. Yiuki

Infância - Antoine Saint-Exupéry

“Lembro dos brinquedos de minha infância, do parque sombrio e dourado que havíamos povoado de deuses, do reino sem limites que fundamos naquele quilometro quadrado nunca inteiramente conhecido, inteiramente revolvido. Formávamos uma civilização fechada onde os passos tinham gosto, onde as coisas tinham um sentido que não existia em nenhuma outra. Quando nos fazemos homens e vivemos sob outras leis, que resta daquele parque cheio de sombras da infância, cheio de magia, ardente e gelada! Hoje, quando voltamos ali, caminhamos com uma espécie de desespero, pelo lado de fora, ao longo de seu pequeno muro de pedras cinzenta, admirados de achar fechada em um recinto tão estreito uma província que era nós o infinito, e compreendendo que nesse infinito não entraremos nunca mais. Porque é a infância, e não ao parque, que seria preciso regressar.”

(Página 87, Terra dos Homens – Antoine Saint-Exupéry)

Só o Espírito, soprando sobre a argila, pode criar o Homem - Antoine Saint-Exupéry”

“Havia nascido daquele casal uma espécie de fruto dourado. Daqueles pesados animais havia nascido um prodígio de graça e encanto. Inclinei-me sobre a fronte lisa, a pequena boca ingênua. E disse comigo mesmo: eis a face de um músico, eis Mozart criança, eis uma bela promessa da vida. Não são diferentes dele os belos príncipes das lendas. Protegido, educado, cultivado, que não seria ele? Quando, por mutação, nasce nos jardins uma rosa nova, os jardineiros se alvoroçam. A rosa é isolada, é cultivada, é favorecida. Mas não há jardineiros para os homens. Mozart criança irá para a estranha máquina de entortar homens. Mozart fará suas alegrias mais altas da música podre na sujeira dos cafés-concertos. Mozart está condenado.

Voltei par ao meu carro. E pensava: essa gente quase não sofre do seu destino. E o que me atormenta aqui não é a caridade. Não se trata de gente se comover sobre uma ferida eternamente aberta. Os que a levam não a sentem. É alguma coisa a espécie humana, e não o indivíduo, que está ferida, que está lesada. Não creio na piedade. O que me atormenta é o ponto de vista do jardineiro. O que me atormenta não é essa miséria na qual, afinal de contas, a gente se acomoda, como no ócio. Gerações de orientais vivem na sujeira e gostam de viver assim.

O que me atormentam, as sopas populares não remedeiam. O que me atormenta não são essas faces escavadas nem essas feiúras. É Mozart assassinado, um pouco, em cada um desses homens.

Só o Espírito, soprando sobre a argila, pode criar o Homem.”

(Página 140, Terra dos Homens – Antoine Saint-Exupéry)

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Nossa alma vibra em acordes

Ontem tive uma visão clara de uma descoberta. A nossa alma vibra e existem almas que entram em acordes conosco. Sinto isso com várias pessoas, mas muitas vezes percebo que existem descompasso dos propósitos de vida e por isso não posso curtir algumas ótimas sonoridades. Apesar disso, somos agraciado, pois simplesmente sei que esse som existe verdadeiramente com tais pessoas independente de ser plasmado no mundo físico e concreto. Não importa o tempo, vidas passadas e futuras vidas, todas as almas que buscam a mesma evolução se comunicam e ressoam mutuamente.”  Yiuki Doi

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Amor Platônico

“Segundo Platão, o Belo é igual ao Justo, ao Bom, ao Verdadeiro. O Amor busca-os porque necessita do Belo, do Justo, do Bom e do Verdadeiro, lançando-se atrás deles. Esse é o amor platônico: encontrar a parte da Alma que nos falta, numa pessoa que represente para nós o Bom, o Belo, o Verdadeiro e o Justo.
Desse ponto de vista, mudam muitos conceitos, incluindo aqueles sobre a geração, já que o Amor pode ter como finalidade a gestação, mas há distintos tipos de fecundidade. Não somente podem fecundar corpos novos como podem gerar outros inúmeros elementos: idéias, sentimentos, virtudes. Assim, esse amor que nos apresenta Platão, brilha, não como impossível ou como uma contradição do amor sexual, mas expõe um tesouro que está ao alcance das mãos, se nos atrevermos a buscá-lo.”

“…aquele que ama, enriquece, porque busca o que não tem e tenta recobrar aquilo que lhe falta…”

Délia Steinberg Guzmán (Coleção Pérolas de Sabedoria: Amor Platônico versus Amor Sexual)

O céu está mais lindo

“Os chineses acreditavam que quando um sábio morria, ele não morria, na verdade virava uma estrela. Passando a deixar o céu mais brilhante e belo.” 

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Pureza

Separar-se de um relacionamento, lavar os pratos após as refeições, sair de bem do emprego, deixar a rua limpa, etc.

Percebo que não deixar rastros é difícil, pois enquanto vivos sempre deixamos marcas.

Hoje, admiro a folha branca e o silêncio, pois são puros na essência.

Buscar-me ser puro para que seja feita uma manifestação consciente… Esse é o meu eterno desafio diário.

Yiuki Doi

terça-feira, 18 de maio de 2010

Entusiasmo

“En Theos”, “Theos en” “Deus em”, “Deus Dentro”, “Deus no homem”. Sentir Divindade dentro de nós, felicidade em saber algo além desta casca da matéria que nos envolve, orgulho de compreender além do tempo que nos limita.

Délia Steinberg Guzmán

Poder interno 3

“O verdadeiro heroísmo está em se conquistar a própria natureza.” Mahabhara

Poder interno 2

“Nenhum preço é caro demais pelo privilégio de pertencer-se a si mesmo” Nietzsche

Poder interno 1

“Os antigos filósofos (e alguns não tão antigos), que souberam buscar a harmonia entre as leis universais e as terrestres, apontaram caminhos interessantes para os homens de todos os tempos […] nos ensinaram a nos mover de dentro para fora, viver eternamente com esse motor, que é semelhante àquele que faz as estrelas e os mundos girarem.”

Délia Steinberg Guzmán

Diálogo

Diálogo = tese, antítese e síntese.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

domingo, 9 de maio de 2010

sábado, 1 de maio de 2010

Harmonia

Harmonia é quando dois ou mais pequenos universos energéticos, em comum acordo, entram de cor em movimentos sincronizados e reverberantes para que todos possam cumprir seus respectivos papeis dentro do grande Universo.

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Além dos sentidos…

Um amigo da dança me passou esse texto do Cazuza, achei lindo por isso posto aqui tb. Yiuki

"Olhar o mundo
com a coragem do cego
Ler da tua boca as palavras
com a atenção do surdo
Falar com os olhos e as mãos
como fazem os mudos"

Agenor de Miranda Araújo Neto (Cazuza)

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Precisamos entender o elemento Terra para tocarmos o Céu.

Hoje percebo que existe uma seqüência para entendermos os elementos da natureza dentro da nossa consciência física. Primeiro precisamos aceitar a TERRA, sentirmos o apoio dela e entregarmo-nos a ela. Depois sermos como a ÁGUA com a sua fluidez. Após isso podemos entender a MADEIRA, não aquela seca e sim aquela permeável e que transporta a água e a vida. Com isso tudo entenderemos melhor o AR e o FOGO. Mas o que achei mais interessante nesse processo é que precisamos começar pelo  elemento TERRA para um dia chegarmos ao CÉU. Yiuki

P.S.1 – O que mais diferencia o Fogo da Água é o uso da gravidade e por isso que o começamos pelo elemento Terra.
P.S.2 – Se não nos entragarmos à Terra, nem conseguiremos respirar corretamente.

Companheiro tempo

Tempo é a capacidade da energia transpor entre matérias, espíritos e o plano que vivemos alterando cada uma delas. Ele é variável, pois é resultado da conectividade e interação entre esses três elementos que estão em constante mudança. Assim é bom entender que o tempo não existe para nos corroer; ele existe para a evolução da matéria física ao espiritual. Uns chamam isto de envelhecimento, outros de amadurecimento. Creio que entender o tempo é estar ancorado no presente e interagir com este mundo encantador com certo desapego material para que um dia possamos esvanecer de bem com o espírito. Yiuki Doi

domingo, 25 de abril de 2010

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Quando me amei de verdade - Charles Chaplin

Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.
E então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome... Auto-estima.
Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.
Hoje sei que isso é...Autenticidade.
Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de... Amadurecimento.
Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é... Respeito.
Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável... Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama... Amor-próprio.
Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é... Simplicidade.
Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes.
Hoje descobri a... Humildade.
Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é... Plenitude.
Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é... Saber viver!!!

Charles Chaplin

sexta-feira, 26 de março de 2010

O mais importante da foto…. Pierre Poulain

“… o mais importante da foto é o invisível: a emoção, o sentimento, a nostalgia, a harmonia”. Pierre Poulain

sexta-feira, 5 de março de 2010

A VIDA SEM AMOR

A inteligência sem amor, te faz perverso.
A justiça sem amor, te faz implacável.
A diplomacia sem amor, te faz hipócrita.
O êxito sem amor, te faz arrogante.
A riqueza sem amor, te faz avaro.
A docilidade sem amor, te faz servil.
A pobreza sem amor, te faz orgulhoso.
A beleza sem amor, te faz ridículo.
A autoridade sem amor, te faz tirano.
O trabalho sem amor, te faz escravo.
A simplicidade sem amor, te deprecia.
A oração sem amor, te faz introvertido.
A lei sem amor, te escraviza.
A política sem amor, te deixa egoísta.
A fé sem amor te deixa fanático.
A cruz, sem amor, se converte em tortura.
A vida sem amor...não tem sentido...

(Autor desconhecido)

CORÍNTIOS 13

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;
Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;

Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.

Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.

Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.

A virtude do vazio

"Conta uma estória Zen-Budista sobre um mestre japonês chamado Nan-in.
Vai visitá-lo um professor universitário que deseja conhecer o Zen.
Segundo a etiqueta, Nan-in convida-o a sentar.
Começa a servir o chá.
A  chávena do visitante já está cheia mas Nan-in continua imperturbável
derramando o chá ,
que principia a escorrer no chão.
O professor não podendo mais conter-se exclama:
- A chávena já está cheia! Chegou o momento de parar.
Ao que Nan-in observa:
- Assim como esta chávena , também estás cheio de conceitos e especulações.
Como poderei mostrar-te o Zen, se não te esvaziares primeiramente?"

(Texto transcrito e repassado para mim pela Paty em set 2006. O livro que ela retirou é o  Lao Tsé, O Livro do Caminho Perfeito
com comentários de Murillo Nunes de Azevedo da editora Pensamento)

Heróis

Não precisamos de heróis, precisamos de referência de heróis.

... homem idealista tem de cumprir com seu destino...

"Do mesmo modo que nem o sol deixa de iluminar, nem o mar deixa de bater às costas, com a mesma inexorabilidade, e mais além das meras opiniões, o homem idealista tem de cumprir com seu destino, dando cabimento à voz de sua velha e profunda consciência antes que às mutáveis versões temporais." (DSG)

Presente recebido da Paty de junho de 2007 ;)

quinta-feira, 4 de março de 2010

Nemotecnia / Mnemotecnia

La nemotecnia o mnemotecnia es el procedimiento de asociación mental de ideas, esquemas, ejercicios sistemáticos, repeticiones, etc. para facilitar el recuerdo de algo.  (http://es.wikipedia.org/wiki/Nemotecnia)

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Instante mágico

Eu te vejo. 
Você me vê.
Mas algo só acontece quando nós olhamos.

Yiuki Doi

Sou olhado por tudo que me rodeia.

Sou olhado por tudo que me rodeia: As pessoas, a caneta, o sol, a janela, a flor, o carro, etc. Quando o olhar deles conquistam o meu, algo de extraordinário acontece: O mundo deles começa a invadir o meu ser e sinto um entusiasmo. Talvez o olhar é a janela de conexão dos outros universos para comigo, que desta maneira é concedida a mim o poder da manifestação. Yiuki Doi

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Alcançar as suas maiores aspirações - Stephen Covey

"[...] se você quiser alcançar as suas maiores aspirações e superar os seus maiores desafios, identifique e aplique o princípio ou lei natural que governa os resultados que você procura." Stephen Covey

sábado, 9 de janeiro de 2010

Atenção - Délia Steinberg Guzmán

“Atenção é uma forma de é uma forma de prolongar a vida. Quanto mais atenção, quanto maior a quantidade de ações válidas, mais a vida se prolonga dentro dos mesmos prazos de tempo, já que cada instante adquire uma dimensão especial”. Délia Steinberg Guzmán

Morro todos os dias…

Eu morro todos os dias e por isso que eu vivo. Nazareno

PARA UM ANO NOVO – 31/12/1995

Não tenho nada de novo a dizer

apenas a mesma dor de viver
e de ver a dor de tantos
e o desdém de outros.

apenas a mesma busca
desperta num poema qualquer
numa vontade de fazer uma poema sobre tudo

apenas as mesmas perguntas
sobre o quê que é
sobre o que é que vem
e o mesmo saque de deixar rolar
de viver pro que se tem

nada de novo

apenas o mesmo desdém à hipocrisia
às datas vazias
ao show da burguesia

apenas a prazer bobo
de saber que apesar de uns
amanhã será um dia de novo.

apenas a mesma alegria
de chuva grossa em tarde cinza
de sol na pele ao meio-dia
de olhar nuns olhos vivos
e de um louco prazer de viver
à revelia

nada mais a dizer

apenas que sempre haverá o que falar
e o que calar

apenas o mesmo amargo na boca
a mesma dor de estar aqui
o mesmo som na noite louca
e o velho dom de voar, voar por ai…

QUEA A VIDA LHE SEJA SEMPRE LEVE.

FELIZ 1996…

Renato Bahia

始まり

黒と白の石波が広がるベンチの足元。

一人座り聞こえる町の吐息。

車の音はやまぬ曇り日に過ぎゆく人たちは遠い存在。

回りの花木は微風で揺れ、淋しい僕を落ち着かせてくれる。

正しいか 分からなく歩んでいるこの道、いつしか素直に笑える時が来ると自分に言い聞かせる。

一人で暮らし始めるこの町、優しく僕を受け入れるだろうか。

考えつつ見つめている石波。

微風はほほをさすり通り過ぎる。

明日は晴れるだろうか。

土井勇輝 (03-1998)

hajimari

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Jamais desista de ser feliz, pois a vida é um espetáculo imperdível – Fernando Pessoa

Você pode ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não se esqueça de que sua vida é a maior empresa do mundo. E você pode evitar que ela vá a falência. Há muitas pessoas que precisam, admiram e torcem por você. Gostaria que você sempre se lembrasse de que ser feliz não é ter um céu sem tempestade, caminhos sem acidentes, trabalhos sem fadigas, relacionamentos sem desilusões. Ser feliz é encontrar força no perdão, esperança nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros. Ser feliz não é apenas valorizar o sorriso, mas refletir sobre a tristeza. Não é apenas comemorar o sucesso, mas aprender lições nos fracassos. Não é apenas ter júbilo nos aplausos, mas encontrar alegria no anonimato. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “não”. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta. Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples que mora dentro de cada um de nós. É ter maturidade para falar “eu errei”. É ter ousadia para dizer “me perdoe”. É ter sensibilidade para expressar “eu preciso de você”. É ter capacidade de dizer “eu te amo”. É ter humildade da receptividade. Desejo que a vida se torne um canteiro de oportunidades para você ser feliz…
E, quando você errar o caminho, recomece.
Pois assim você descobrirá que ser feliz não é ter uma vida perfeita. Mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância. Usar as perdas para refinar a paciência. Usar as falhas para lapidar o prazer. Usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência.
Jamais desista de si mesmo.
Jamais desista das pessoas que você ama.
Jamais desista de ser feliz, pois a vida é um espetáculo imperdível, ainda que se apresentem dezenas de fatores a demonstrarem o contrário.

Pedras no caminho? Guardo todas... Um dia vou construir um castelo!

Fernando Pessoa

Seguidores

Archivo del blog