Espaço para desvanecer a cada instante. Aqui se encontram textos, imagens e gráficos de vários autores. Sempre precisei colecionar o que eu chamo de figurinhas mágicas. São cartas que abrem novos horizontes e paisagens. Então, boa viagem ;)

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Paredes do banheiro

Quando eu era pequeno havia um banheiro fora da casa, onde também era o nosso local de castigo.

Às vezes minha mãe encontrava-me sozinho nesse banheiro fazendo nada, sentado no assento tampado. Vendo a situação estranha, ela perguntava: – Filho, o que está fazendo ai? Diz ela que eu respondia: - Estou de castigo, pois fiz algo errado.

Vagas memórias que se fundem com os relatos da minha mãe.

Hoje penso que nem era triste, nem alegre aquele troninho da infância. Sabia que era um lugar para ficar, só isso.

Anos se passaram, sai de casa e pelas vicissitudes acabei me afastando dos meus pais. Não me sinto triste ou alegre quanto a isso, somente aprendi a ficar longe deles, pois algo dentro de mim diz que para ser filho precisamos cumprir algo como filho.

Ainda não cumpri o dever como filho, tão cedo não poderei cumprir o que geralmente as pessoas esperam de um filho.

Assim, tenho uma sensação de que preciso ficar no banheiro.

Deixei de telefonar e dar notícias, entrei no silêncio.

Continuei a manter as paredes do banheiro, me afastei deles.

Mas, na semana passada, eu recebi uma encomenda, era um pacote com comidas japonesas enviadas pela minha mãe, nela havia uma etiqueta escrita “Com carinho”…

Talvez ser filho não é uma questão de merecer ou não...

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Sou um linha

Sinto-me como uma margem, um linha que divide espaços e universos que não se dialogam. Um ser que não possui largura com seus 1,64m e 53kg. Às vezes acho que a minha companhia são os pontos – os que não possuem nenhuma grandeza. Talvez, por isso que me perco no mundo, me encantando no meio de tudo sem ninguém conhecer a minha densidade. Yiuki Doi

Seguidores