Espaço para desvanecer a cada instante. Aqui se encontram textos, imagens e gráficos de vários autores. Sempre precisei colecionar o que eu chamo de figurinhas mágicas. São cartas que abrem novos horizontes e paisagens. Então, boa viagem ;)

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Mudanças

Não é impedindo ou retirando que as pessoas mudam. As pessoas mudam se oferecemos possibilidades, espaços e principalmente oportunidades.

O que as pessoas buscam…

No fundo o que as pessoas buscam não é religião, dinheiro, status, conhecimento, amor, etc. Creio que as pessoas buscam simplesmente a paz de espírito. Contudo, o que cada uma delas entende dessas duas palavras é a grande busca individual. Recordo da frase do Goethe "Feliz é o homem que pode achar a relação entre o começo e o fim de sua vida.", acho excelente e concordo plenamente com ela. Talvez o livre arbítrio é a escolha dessa crença pessoal que traz a leveza da vida chamada de paz de espírito ou simplesmente de felicidade.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Shangri-La

Shangri-la, da criação literária de 1925 do inglês James Hilton, Lost Horizon (Horizonte Perdido), é descrito como um lugar paradisíaco situado nas montanhas do Himalaia, sede de panoramas maravilhosos e onde o tempo parece deter-se em ambiente de felicidade e saúde, com a convivência harmoniosa entre pessoas das mais diversas procedências. Shangri-la será sentido pelos visitantes ou como a promessa de um mundo novo possível, no qual alguns escolhem morar, ou como um lugar assustador e opressivo, do qual outros resolvem fugir. O romance inspira duas versões cinematográficas nas décadas seguintes.

No mundo ocidental, Shangri-la é entendido como um paraíso terrestre oculto.[1]

Extraido do Wikipédia

Vou-me Embora pra Pasárgada - Manuel Bandeira

Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada

Vou-me embora pra Pasárgada
Aqui eu não sou feliz
Lá a existência é uma aventura
De tal modo inconseqüente
Que Joana a Louca de Espanha
Rainha e falsa demente
Vem a ser contraparente
Da nora que eu nunca tive

E como farei ginástica
Andarei de bicicleta
Montarei em burro brabo
Subirei no pau-de-sebo
Tomarei banhos de mar!
E quando estiver cansado
Deito na beira do rio
Mando chamar a mãe-d'água
Pra me contar as histórias
Que no tempo de eu menino
Rosa vinha me contar
Vou-me embora pra Pasárgada

Em Pasárgada tem tudo
É outra civilização
Tem um processo seguro
De impedir a concepção
Tem telefone automático
Tem alcalóide à vontade
Tem prostitutas bonitas
Para a gente namorar

E quando eu estiver mais triste
Mas triste de não ter jeito
Quando de noite me der
Vontade de me matar
-- Lá sou amigo do rei --
Terei a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada.

Texto extraído do livro "Bandeira a Vida Inteira", Editora Alumbramento – Rio de Janeiro, 1986, pág. 90

Manuel Bandeira: sua vida e sua obra estão em "Biografias".

terça-feira, 12 de abril de 2011

Transformar o mundo – Dalai Lama

"Se você quer transformar o mundo, experimente primeiro promover o seu aperfeiçoamento pessoal e realizar inovações no seu próprio interior."

O Caminho da Tranqüilidade (Dalai-Lama)

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Artista é um ser marginal

“Artista é um ser marginal transbordando em si e nos limites.”  Yiuki Doi e Keiko Utumi

domingo, 3 de abril de 2011

Sonhar grande

Há tempos, assisti uma palestra no SEBRAE, nem me lembro mais do nome do palestrante. Mas ainda lembro a mensagem final da palestra, pois foi algo que me marcou bastante:

“Nem todos que sonham grande chegam ao seu objetivo, mas garanto que quem chegou é porque sonhou grande.” (autor desconhecido)

P.S. encontrei o flyer! Era o Julio Ribeiro do Grupo Talent ;)

Seguidores

Archivo del blog