Espaço para desvanecer a cada instante. Aqui se encontram textos, imagens e gráficos de vários autores. Sempre precisei colecionar o que eu chamo de figurinhas mágicas. São cartas que abrem novos horizontes e paisagens. Então, boa viagem ;)

quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

FELIZ 2008 E 2009 - Yiuki Doi

Dia 31 de Dezembro! O ano está acabando, daqui a algumas horas 2009 virá cheio de esperança, desejos e sonhos. Agora que estou com um tempo, fico a divagar sobre o ano que passou. Lembro dos sonhos e promessas do inicio do ano: Vou encontrar a minha cara metade, meu mini empreendimento de centro cultural vai dar certo, quero viajar mais, farei um curso de software de design, etc. Tantas foram os desejos e as vontades que no meio desta correria, quando notei o ano já tinha chegado ao fim. Vejo que o gongo tocará em algumas horas e preciso fazer o balanço da felicidade de 2008. Para ser sincero, nada do que planejei deu certo e eu penso alto: Inacreditável! ....... Contudo nesse saldo negativo de promessas, tive outras não planejadas que deram certos: Terminei o ano como bailarino num palco com uma equipe maravilhosa, concluí um curso de filosofia (3 meses de duração) e decidi levar adiante, fiz a paz com o Divino e comigo, terminei o ano no 0x0 na conta bancaria, encontrei novas pessoas especiais, conheci antigos amigos novos, etc. Com toda essa descrição até parece que sou um cara sortudo, contudo houveram desventuras que prefiro omitir - mas que para mim não consiguirei fazer o mesmo. Depois dessa retrospectiva 2008 e dos 31 anos novos que passaram, percebo que a felicidade não está naquilo que prometemos e desejamos nessas horas. Sei que o ano foi difícil para muitos; uns perderam a casa inteira e entes queridos nas chuvas catarinenses e cariocas, minha amiga irmã está internada desde a semana do Natal, hoje na volta da panificadora passei sobre um mendigo sujo e caído no calçadão, os hospitais não estão vazios por causa das festas. Lembro da minha mãe comentando: - Se olharmos para baixo há um infinito, se olhar para cima o mesmo acontece. Então entendo que a felicidade não existe em nenhum ponto específico desse lance de escada. São poucos que no calçadão da Rua XV forem questionado num dia qualquer por um repórter: - Você é feliz? Consiga responder com uma naturalidade instantânea: - Sou feliz. Não que eu conseguirei fazer isso. Muito pelo contrário, alguns desafios de vida é uma luta diária e cada conquista não garante a ala vip do amanhã. Então desejo hoje que independente do ano que passou possamos olhar no espelho e dizer: Sou feliz pelo nada, pela vida, pelos amigos, pela família, pela natureza e pelo Divino. Sou feliz, pois nasci homem (pelo budismo é muita sorte nascer como ser humano). Sou feliz no lance de escada que me encontro!
Despeço-me com as palavras do Osho como meu voto de boas esperanças para este novo ano: “Onde você estiver, é sempre o início. É por isso que a vida é tão bela, tão jovem, tão virgem”. FELIZ 2008 e 2009, que a vida seja leve para todos.

Yiuki Doi

domingo, 28 de dezembro de 2008

MISTERIOS QUE FASCINAM - homenagem a minha vó - Yiuki Doi

Coisa que entendi com a minha vó:
As mulheres são misteriosas e sempre devem ser misteriosas, elegantes e bonitas.
Por isso ela é uma rosa que nenhum homem vai desvendá-la.
Talvez por isso que tantas pessoas se fascinam por ela.

Yiuki Doi


sábado, 27 de dezembro de 2008

FANTASIA - Osho

"A fantasia pode fazer uma coisa: pode criar o inferno ou pode criar o paraíso. A fantasia é muito consistente; ela não pode criar o paradoxo.

A fantasia é muito lógica, e a realidade é muito ilógica. Assim, sempre que a realidade aflorar, ela terá ambas as polaridades em si – esse é um dos critérios da realidade. Se ela não tiver ao mesmo tempo ambas as polaridades, ela será uma construção da mente.

A mente não corre riscos e sempre cria algo consistente. Em si mesma, a vida é muito inconsistente e contraditória – ela precisa ser, ela existe atraves da contradição. A vida existe atraves da morte; portanto, sempre que você estiver realmente vivo, também sentirá a morte. Todo momento de grande vida também será um grande momento de morte. Todo momento de grande felicidade também será um grande momento de tristeza. Precisa ser assim.

Assim lembre-se disto sempre: quando você tiver uma experiência contraditória – duas coisas que não se encaixam, que são diametralmente opostas uma à outra -, ela deve ser real; você não poderia imaginá-la. A imaginação nunca é tão ilógica."

Osho Todos os Dias - 365 meditações diárias (pág. 359)


sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

SONHO DE UMA FLAUTA - Música do "O Teatro Mágico"

Sonho de uma Flauta ( http://www.youtube.com/watch?v=WDq_ewUxds4 )

Nem toda palavra é

Aquilo que o dicionário diz
Nem todo pedaço de pedra
Se parece com tijolo ou com pedra de giz

Avião parece passarinho
Que não sabe bater asa
Passarinho voando longe
Parece borboleta que fugiu de casa

Borboleta parece flor
Que o vento tirou pra dançar
Flor parece a gente
Pois somos semente do que ainda virá

A gente parece formiga
Lá de cima do avião
O céu parece um chão de areia
Parece descanso pra minha oração

A nuvem parece fumaça
Tem gente que acha que ela é algodão
Algodão as vezes é doce
Mas as vezes né doce não

Sonho parece verdade
Quando a gente esquece de acordar
O dia parece metade
Quando a gente acorda e esquece de levantar
Hum... E o mundo é perfeito
Hum... E o mundo é perfeito
E o mundo é perfeito

Eu não pareço meu pai
Nem pareço com meu irmão
Sei que toda mãe é santa
Mas a incerteza traz inspiração

Tem beijo que parece mordida
Tem mordida que parece carinho
Tem carinho que parece briga
Tem briga que aparece pra trazer sorriso

Tem sorriso que parece choro
Tem choro que é por alegria
Tem dia que parece noite
E a tristeza parece poesia

Tem motivo pra viver de novo
Tem o novo que quer ter motivo
Tem aquele que parece feio
Mas o coração nos diz que é o mais bonito

Descobrir o verdadeiro sentido das coisas
É querer saber demais
Querer saber demais

Sonho parece verdade
Quando a gente esquece de acordar
O dia parece metade
Quando a gente acorda e esquece de levantar

Mas o sonho parece verdade
Quando a gente esquece de acordar
E o dia parece metade
Quando a gente acorda e esquece de levantar
Hum... E o mundo é perfeito
Mas o mundo é perfeito
O mundo é perfeito

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

FELICIDADE REALISTA - Mário Quintana

A princípio bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos. Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis. Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas. E quanto ao amor? Ah, o amor... não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar a luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito. É o que dá ver tanta televisão. Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista. Ter um parceiro constante pode ou não, ser sinônimo de felicidade. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio. Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade. Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno. Olhe para o relógio: hora de acordar É importante pensar-se ao extremo, buscar lá d entro o que nos mobiliza, instiga e conduz, mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se. Invente seu próprio jogo. Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade. Mário Quintana

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

ETERNIDADE - Yiuki Doi

A eternidade não se encontra naquilo naquilo que juntamos e sim naquilo que repassamos. Yiuki Doi

Seguidores

Archivo del blog