Espaço para desvanecer a cada instante. Aqui se encontram textos, imagens e gráficos de vários autores. Sempre precisei colecionar o que eu chamo de figurinhas mágicas. São cartas que abrem novos horizontes e paisagens. Então, boa viagem ;)

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Não Entendo (Clarice Lispector) - Antonio Abujamra

“Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender.
Entender é sempre limitado.
Mas não entender pode não ter fronteiras.
Sinto que sou muito mais completa quando não entendo.
Não entender, do modo como falo, é um dom.
Não entender, mas não como um simples de espírito.
O bom é ser inteligente e não entender.
É uma benção estranha,
como ter loucura sem ser doida.
É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice.
Só que de vez em quando vem a inquietação:
quero entender um pouco. Não demais:
mas pelo menos entender
que não entendo”

~ Clarice Lispector, em “A Descoberta do Mundo” (1967*1973)

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

A rua como extensão do seu lar – Yiuki Doi

A rua deve ser uma extensão do seu lar, onde se habita coletivamente. Espaço público que causa opressão e insegurança retira da população o sentimento de pertencimento ao seu bairro. As manifestações culturais e artísticas em espaços públicos devem ter direitos assegurados e aceitos. Sem esses lares coletivos, a própria consciência de cidadania e de nação se tornam distante da população. Yiuki Doi

Seguidores

Archivo del blog