Espaço para desvanecer a cada instante. Aqui se encontram textos, imagens e gráficos de vários autores. Sempre precisei colecionar o que eu chamo de figurinhas mágicas. São cartas que abrem novos horizontes e paisagens. Então, boa viagem ;)

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Florescer no deserto

No mundo material algo seca e pronto... Mas as leis espirituais ou emocionais são diferentes, eles podem nascer do vazio pois precedem a própria matéria. Por isso simplesmente amamos, temos fé, a intuição e, principalmente, temos a nossa vocação. É a abertura pessoal canalizando a luz divina. Então para algo que se perde, outro pode florescer exuberantemente. Basta sentir, conduzir e permitir a florescer.

P.S. Em homenagem à flor gira-sol que lembra uma pessoa especial.

“Eu quero” nem sempre é o “Eu necessito”…

Semana passada uma amiga ensinou-me algo genial que também me fez entender melhor uma pessoa depressiva. Ela disse que hoje em dia as pessoas querem muitas coisas e a própria sociedade cria circunstância para esses quereres; seja estes casa, dinheiro, sucesso, beleza, carro, etc. Mas ela comentou que o “eu quero” nem sempre é o “eu necessito”. Muitas vezes não sabemos o que necessitamos e as pessoas de fora ou as mais vividas conseguem visualizar melhor o que precisamos – ou seja, precisamos ter humildade em relação as convicções dos nossos quereres. Desenvolvendo essa idéia por antonímia, então, eu compreendi que o contrário acontece com as pessoas depressivas, elas não querem nada; não quer sair, não quer trabalhar, não quer monte de coisas. Mas também nesse caso acontece o mesmo, o “não querer” não significa o “não necessitar”. Depois dessa dica consegui compreender que precisamos diferenciar melhor os impulsos carnais e mundanos da nossa real necessidade espiritual.

P.S. Sei que existem doenças emocionais, biológicas e mentais... para cada caso deve haver um caminho específico para entender as necessidades, cada um deve procurar o seu caminho... Às vezes é tomar remédio mesmo :(

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Tornar mais permeável aos signos da natureza

"o impulso para a escrita é determinado por um elemento exterior, onde o homem perde um pouco as fronteiras do cotidiano e do racional e se torna mais permeável aos signos da natureza.” posfácio do livro S. Bernardo

terça-feira, 27 de outubro de 2009

CIÊNCIA

Os três elemento-chave na ciência são observação, análise e duplicação.

Referência >>> Homen-aranha: A ameaça do Escavador n°27 pg 16

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

SABER

Etimologia
SABER: lat. sapìo,is,ùi,ívi (ou ìi eí),ère 'ter sabor, ter bom paladar, ter cheiro, sentir por meio do gosto, ter inteligência, ser sensato, prudente, conhecer, compreender, saber'; ver sab-; f.hist. 991 sabere, sXIII saber (Dicionário Houass da lingua portuguesa)

Saber possui relação com o paladar, pois de todos os sentidos este é o que precisa de mais coragem. Quem ouve imagina, quem vê analisa, quem toca averigua, quem cheira seleciona, quem saboreia se arrisca em apreciar. O saber é colocar o incerto dentro de ti, mesmo que possa vomitar, pois é nesse risco que se encontra o deliciar.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

SABER

Não basta ser, precisamos saber e deliciar. Yiuki Doi

ESPAÇO PARA O CORAÇÃO

Descobri que o coração precisa ter espaço para bater. Precisamos relaxar ao redor dele para que ele possa pulsar naturalmente. Muitas pessoas não vão entender isso ou fazem sem saber, mas isso pode ser uma consciência corporal. Yiuki Doi

Seguidores

Archivo del blog