Espaço para desvanecer a cada instante. Aqui se encontram textos, imagens e gráficos de vários autores. Sempre precisei colecionar o que eu chamo de figurinhas mágicas. São cartas que abrem novos horizontes e paisagens. Então, boa viagem ;)

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Os hobbies - Michel Echenique Isasa

O que há de mais parecido com a vocação são os hobbies. Por definição hobbie é uma atividade que fazemos porque queremos, porque gostamos e porque a fazemos bem. A vocação não é muito diferente, é só acrescentar que é uma atividade profissional. Mas isso é apenas circunstancial, pois essencialmente a condição de um hobbie e de uma vocação é a mesma. Tanto é assim que um hobbie pode se tornar vocação e vice-versa. É muito comum constatar que pessoas que acharam sua vocação na vida antes de realizá-la como uma atividade profissional já a desenvolviam como um hobbie. Portanto, para quem ainda não achou sua vocação este método é perfeitamente válido.

A atual condição profissional ou de trabalho é geralmente muito estressante e o que é pior com muita pouca satisfação. Trabalhamos compulsoriamente, por uma necessidade que nem sempre é verdadeira, muitas vezes é simplesmente falta de recurso, de cultura, de oportunidade ou de imaginação. Para pessoas que se encontram nessa condição buscar um hobbie poderia ser a solução para muitos problemas.

Buscar um hobbie é uma questão de versatilidade, pois muitas vezes precisamos testar muitas coisas até descobrir uma que nos dê prazer e ao mesmo tempo seja útil. É por isso que a busca de um hobbie se caracteriza por desenvolver em princípio artes ou ofícios ou também desenvolver atividades que nos permitam integrar muitas outras.

A interdisciplinaridade e a transversalidade podem também ajudar muito para encontrar hobbies, mas uma questão fundamental é superar o preconceito da especialização. De início, digamos que ela não é natural ao ser humano, mas uma imposição de interesses de produtividade e não do trabalho. A especialização não surgiu da necessidade de melhorar as condições de trabalho, mas de melhorar as condições dos investimentos, portanto o natural é que um ser humano esteja em condições de fazer muitas coisas e tarefas variadas. É muito empolgante observar pessoas que sempre estão fazendo coisas e mais gratificante ainda quando as fazem com muita motivação. Nem sempre a curiosidade é ruim, muitas vezes ela, se bem direcionada, nos permite observar as coisas de diferentes ângulos de visão e compreensão, o que gera a oportunidade de encontrar algo que possamos fazer e que nos dê um retorno com esse tipo de satisfação.

Por outro lado, um hobbie não é só uma questão de satisfação, mas também de saúde e de realização. De saúde porque um hobbie nos mantém longe do estresse ou de psicosomatizações patológicas, e de realização porque num hobbie a gente se entrega por completo tendo assim condições de trazer à tona o nosso potencial. É interessante observar a surpresa de muitas pessoas quando, fazendo alguma coisa em que se aplicam com mais intensidade do que o comum, descobrem que são capazes de executar ações para as quais pensavam que estavam impossibilitados.

Aqui então existe um caminho a ser tomado com relação às nossas atividades, e o desenvolvimento de potencial, criatividade e crescimento. O importante é não ficar parado, perdendo iniciativa e oportunidades. Normalmente quem tem um hobbie é alguém especial e geralmente desperta interesse nos demais, o que já é uma pequena porta para a realização em qualquer aspecto humano. Também é necessário esclarecer que hobbie não é sinônimo de lazer, ou de atividades amadoras em qualquer área, mas um trabalho que exige aplicação, esforço, pesquisa e desenvolvimento com um alto grau de eficiência, não é estressante só porque é realizado de forma voluntária, consciente, com prazer e talvez o que é mais importante sem a neurose da busca do resultado.

Em síntese, hobbie é uma atividade à altura de qualquer profissão, com o mesmo padrão de qualidade de uma atividade vocacional, porém para benefício de nós mesmos, para além de qualquer questão circunstancial e compulsória, que dá retorno em termos de autonomia, autoconhecimento, beleza e realização.

Michel Echenique Isasa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Archivo del blog