Espaço para desvanecer a cada instante. Aqui se encontram textos, imagens e gráficos de vários autores. Sempre precisei colecionar o que eu chamo de figurinhas mágicas. São cartas que abrem novos horizontes e paisagens. Então, boa viagem ;)

sábado, 9 de janeiro de 2010

PARA UM ANO NOVO – 31/12/1995

Não tenho nada de novo a dizer

apenas a mesma dor de viver
e de ver a dor de tantos
e o desdém de outros.

apenas a mesma busca
desperta num poema qualquer
numa vontade de fazer uma poema sobre tudo

apenas as mesmas perguntas
sobre o quê que é
sobre o que é que vem
e o mesmo saque de deixar rolar
de viver pro que se tem

nada de novo

apenas o mesmo desdém à hipocrisia
às datas vazias
ao show da burguesia

apenas a prazer bobo
de saber que apesar de uns
amanhã será um dia de novo.

apenas a mesma alegria
de chuva grossa em tarde cinza
de sol na pele ao meio-dia
de olhar nuns olhos vivos
e de um louco prazer de viver
à revelia

nada mais a dizer

apenas que sempre haverá o que falar
e o que calar

apenas o mesmo amargo na boca
a mesma dor de estar aqui
o mesmo som na noite louca
e o velho dom de voar, voar por ai…

QUEA A VIDA LHE SEJA SEMPRE LEVE.

FELIZ 1996…

Renato Bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Archivo del blog